Não posso lançar o Brasil numa aventura’, diz Bolsonaro

Bolsonaro reclamou das pessoas que criticam o seu governo sem apresentar alternativas.

O presidente da República, Jair Bolsonaro, reclamou, na última quinta-feira (24), das pessoas que criticam o seu governo sem apresentar alternativas.

A declaração, que aconteceu durante sua live semanal no Facebook, foi uma resposta aos ataques que vem sofrendo nas redes sociais após a nova prisão do jornalista e ativista político Oswaldo Eustáquio em meio a um inquérito do Supremo Tribunal Federal (STF).

Na transmissão ao vivo, Bolsonaro declarou:

“Alguns criticam: você tem que meter o pé na porta, aqui, ali. Você votou no cara errado. Eu não posso lançar o Brasil numa aventura, é isso que vocês querem? Num vale tudo?”
Em outro trecho da live, o chefe do Executivo afirmou que não tem “sangue de barata” e não irá tolerar se houver “movimento conspiratório” para tirá-lo do cargo.

“Agora, todo mundo sabe que tudo tem limite, não tenho sangue de barata. Sou um ser humano, lutei para estar aqui, me livrei da morte daquela facada em Juiz de Fora. E jamais vou aceitar, se tiver, se aparecer um dia um movimento conspiratório para me tirar daqui sem motivo.”
O comentário de Bolsonaro é uma reação à denúncia recente do ministro da Economia, Paulo Guedes, sobre um suposto plano do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do governador de São Paulo, João Doria (PSDB), para derrubá-lo.

O presidente brasileiro também criticou Doria por ter endurecido as medidas de isolamento social, e defendeu que o “povo armado” reagiria às restrições:

“O povo armado acaba com essa brincadeirinha de ‘vai ficar todo mundo em casa que eu vou passear em Miami’. Pelo amor de Deus, ô calcinha apertada, isso não é coisa de homem. Fecha São Paulo e vai passear em Miami? Isso é coisa de calcinha apertada. É um crime. O povo tem que estar armado porque a arma é a garantia de sua liberdade.”

Comentários

0 comentários