FORA, ALEXANDRE DE MORAES!

Órgãos da mídia independente defendem o impeachment do ministro do STF que comanda o “inquérito do fim do mundo”
Quando o jornalista Oswaldo Eustáquio deu entrada ao Hospital de Base de Brasília, após sofrer um grave ferimento dentro da cela em que se encontrava ilegalmente preso por ordem de Alexandre de Moraes, o Brasil despertou para uma realidade inescapável: estamos vivendo um regime de exceção.

A situação de Oswaldo Eustáquio simboliza hoje o estado grave da democracia brasileira. Da mesma forma que ele, estamos feridos e humilhados. Da mesma forma que ele, somos vítimas de intimidação e perseguição. Da mesma forma que ele, estamos à mercê de potentados eleitos por ninguém, indiferentes às leis e aos direitos mais básicos dos cidadãos.

É preciso dizer, com todas as letras, que a prisão de Oswaldo Eustáquio é decorrente de um inquérito ilegal e ditatorial. À semelhança do personagem Joseph K., de Franz Kafka, ele está respondendo a um processo sem saber o crime de que está sendo acusado.

Do outro lado da situação kafkiana, está Alexandre de Moraes, o ditador togado. A partir do momento em que submeteu um cidadão brasileiro a esse abuso inominável, o indigitado ministro tornou-se responsável por tudo que acontecer à vítima de seus desmandos.

Mantê-lo no poder depois do que ele já se revelou capaz de fazer equivale a assinar uma sentença de morte para a democracia e as liberdades públicas no Brasil. Os Senadores da República, que representam os altos interesses de nossa Federação, têm por dever iniciar agora um processo de impeachment desse que se julga, muito mais do que ministro do Supremo, o supremo juiz, acusador, investigador, réu e rei da nação.

Se os Senadores da República nada fizerem agora, condenarão o Brasil a um período de devastação e anomia. E amanhã, certamente, serão alvos desse ditador que hoje deixam impune.

É tempo de dizer, alto e bom som: ― Fora, Alexandre de Moraes!

Bernardo Pires Küster (BSM)
Cristian Derosa (Estudos Nacionais)
Filipe Trielli (Senso Incomum)
Flávio Morgenstern (Senso Incomum)
Italo Lorenzon (Terça Livre)
José Tolentino Filho (Jornal da Cidade Online)
Lucas Campos (Coalizão Conservadora)
Paulo Briguet (BSM)
Silvio Grimaldo (BSM)

Fonte :

Comentários

0 comentários