Doria anuncia produção da vacina chinesa sem autorização da Anvisa

A Anvisa ainda não aprovou o imunizante e, ignorando os avisos e as recomendações, Doria anunciou nesta quinta-feira (10/12) a produção da vacina chinesa. Por ganância, João Doria está colocando a vida da população paulista em perigo.

De acordo com Doria, o Instituto Butantan começou a produzir, na quarta-feira (9/12), a Coronavac, vacina contra o vírus chinês que está sendo desenvolvida em parceria com a chinesa Sinovac (acusada de corrupção).

Segundo o governador, a fábrica, que funcionava em escala, passa a operar 24 horas, sete dias por semana. A capacidade de produção é de 1 milhão de doses por dia. O primeiro lote terá aproximadamente 300 mil doses. Até janeiro, 40 milhões de doses da vacina deverão ser produzidos no local.

“Essa é a produção brasileira que está sendo feita com insumos da Sinovac. Um momento histórico que orgulha os brasileiros. Para a produzir a quantidade de vacinas que a urgência nos impõe a fábrica do Butantan que funcionava em escalas, passa agora a funcionar 24 horas por dia, sete dias por semana. Autorizamos a contratação de 120 técnicos. Com isso, a capacidade de produção da vacina chegará a um milhão de doses por dia”, destacou a InfoMoney.

O ditador ressaltou que no dia 25 de janeiro a população do estado começa a ser imunizada conforme o PEI (Plano Estadual de Imunização). “O Brasil não pode assistir o mundo começar a vacinação e por aqui ficarmos em um debate interminável e inconclusivo, o que nos coloca de braços cruzados. São Paulo não cruza os braços e vai ajudar todos os estados brasileiros que solicitarem”, disse.

Com medo de perder os lucros do Carnaval e favorecer empresas de bebidas alcoólicas, o governador que está no cargo por liminar judicial quer adiantar o calendário de vacinação para não afetar o carnaval.

“Por que iniciar a vacinação em março, como foi mencionado pelo Ministério da Saúde, se podemos iniciar em janeiro de forma segura e eficiente? Precisamos ter humildade e reconhecer experiências bem-sucedidas no Brasil e no exterior e eliminar qualquer viés político para salvar a vida dos brasileiros”, acrescentou fazendo referência à fala de Eduardo Pazuello, ministro da Saúde, em reunião nesta terça-feira (08/12).

*Com informações da InfoMoney

Comentários

0 comentários