Dezembro Vermelho alerta sobre prevenção da Aids

 

 

A Aids é uma doença infecciosa, transmitida pelo vírus HIV. Segundo dados da Secretaria de Estado da Saúde, do Ministério da Saúde e do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS), a cada 15 minutos uma pessoa se infecta com o vírus no Brasil.

 

Por meio do Sistema Único de Saúde (SUS), o país é referência internacional no tratamento de HIV/Aids, disponibilizando tratamento (antirretroviral), bem como o acesso a testagem de sorologia e ao preservativo (camisinha).

 

Com a evolução do tratamento, nem todo mundo que vive com HIV chega a desenvolver a Aids, por isso há diferença entre os termos. HIV é a sigla em inglês para vírus da imunodeficiência humana, uma vez que o vírus ataca o sistema imunológico, responsável por defender o organismo de doenças. As células mais atingidas são os linfócitos T CD4+

 

A transmissão do HIV se dá principalmente por via sexual – seja ela anal, vaginal ou oral. Outras formas de transmissão são por meio da transfusão de sangue contaminado e seus derivados; através do uso de drogas injetáveis e compartilhamento de instrumentos que furam ou cortam não esterilizados, canudos e cachimbos; ou por meio da transmissão vertical de mãe para filho. Vale destacar que, mesmo assintomático, o portador do HIV pode continuar a transmitir o vírus.

 

Já a Aids, ou Síndrome da Imunodeficiência Adquirida, é o estágio mais avançado da doença causada pelo vírus HIV. Mais vulnerável, o organismo fica mais sujeito a diversos agravos – as chamadas infecções oportunistas – que vão de um simples resfriado a infecções mais graves como tuberculose ou câncer.

 

Atualmente é possível conviver com o vírus HIV e viver com qualidade de vida. Basta seguir o tratamento indicado e as recomendações da equipe de saúde. Saber precocemente da infecção pelo HIV é fundamental para aumentar a qualidade e sobrevida da pessoa.

 

Prevenção

Prevenir-se do HIV/AIDS é possível! Fique atento às recomendações abaixo:

 

Use preservativo (masculino ou feminino) em todas as relações sexuais;

Não compartilhe agulhas, seringas, canudos ou cachimbos;

Fique atento ao uso de material esterilizado na aplicação de tatuagens e piercings;

Realize o pré-natal com exames, na gestação;

Verifique o uso de materiais não esterilizados em clínicas odontológicas, manicures e barbearias;

Evite o uso abusivo de álcool e outras drogas ilícitas. Elas podem alterar o nível de consciência do indivíduo e a capacidade de tomar decisões sobre a forma de se proteger.

Por outro lado, o vírus do HIV NÃO SE TRANSMITE: através do beijo, abraço, aperto de mão, nem por meio do uso de copos e talheres compartilhados, piscina ou sauna.

 

Diagnóstico e Tratamento no SUS

Em Florianópolis, o diagnóstico pode ser realizado através da sorologia anti-HIV e testes rápidos, disponíveis em todas as unidades básicas de saúde ou nos serviços ambulatoriais conveniados ao Sistema Único de Saúde (SUS). Os testes rápidos também estão disponíveis nos SAE e CTA. Práticos e de fácil execução, fornecem o resultado em, no máximo, 30 minutos, a partir da coleta de uma gota de sangue ou fluido oral.

 

O Estado de Santa Catarina, por meio do Ministério da Saúde, distribui os antirretrovirais, mensalmente, para as Unidades Dispensadora de Medicamentos (UDMs) dos CTA/SAE, e esses são distribuídos aos pacientes soropositivos. Os antirretrovirais são medicamentos que combatem a multiplicação do vírus HIV e fortalecem o sistema imunológico. A adesão ao tratamento com os medicamentos reduz significativamente a mortalidade, o número de internações e infecções por doenças oportunistas, que aproveitam a fraqueza do sistema imunológico para atacar o organismo. Por isso, seu uso é fundamental para aumentar o tempo e a qualidade de vida de quem tem HIV/AIDS.

 

Fonte: Saúde SC

Comentários

0 comentários