Prepara: Celesc começa a cobrar o aumento na conta de luz

A Celesc começará a cobrar na próxima fatura de energia elétrica os valores retroativos ao aumento tarifário aprovado em agosto pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), mas brecado inicialmente pela justiça.

Na época, a Aneel autorizou um reajuste médio de 8,14% na tarifa da Celesc, mas a justiça catarinense suspendeu a medida alegando as dificuldades por conta da pandemia de covid-19.

A Celesc recorreu da decisão e ganhou a ação no Tribunal Regional Federal (TRF4). Com a decisão publicada em 29 de outubro, a Celesc começou a operar com a nova tarifa nas faturas expedidas a partir de 31 de outubro.

A central elétrica também cobrará na próxima fatura os valores que foram represados durante a suspensão judicial, que ocorreu entre 22 de agosto e 31 de outubro.

Segundo o gerente Regional da Celesc, Pedro Molleri, os valores retroativos serão cobrados em uma única fatura. Por exemplo, se o consumidor tiver uma conta de luz no valor de R$ 100, pagará R$ 16,20 só de reajuste retroativo, correspondente aos meses em que não foi cobrado em função da decisão judicial.

A Celesc diz que usou critérios técnicos e que o aumento faz parte da autoregulação do setor. O reajuste aprovado prevê alta de 8,42% na tarifa de baixa tensão, como casas, propriedades rurais, iluminação pública e comércio. Já na alta tensão o avanço é de 7,67%, voltada às empresas de grande porte, indústrias e shoppings, entre outros estabelecimentos.

Comentários

0 comentários