ATENDENTE PEDE QUE JOVEM PASSE “ÁGUA” NO CABELO E A DEIXA CONSTRANGIDA EM RENOVAÇÃO DE RG, CONFIRA

Sara Policarpo, de 25 anos, fez desabafo em rede social, registrou ocorrência e foi ouvida na delegacia. Ela mora em Itaúna e foi a Divinópolis na semana passada para renovar a identidade e tirar a da filha; envolvidos se posicionaram sobre o assunto.

A Polícia Civil instaurou um inquérito nesta terça-feira (24), para apurar a denúncia de uma jovem de 25 anos que disse ter sofrido preconceito racial em Divinópolis, durante o registro de fotos em formato 3×4 para a carteira de identidade dela. Após o ocorrido, o G1 procurou a jovem, a polícia, o Estado e a empresa onde ela tirou as fotos .

Segundo publicação feita por Sara Policarpo no Instagram, ao chegar à Unidade de Atendimento Integrado (UAI) com os documentos necessários para renovar o Registro Geral (RG) dela e tirar o mesmo documento para a filha, foi informada que as fotos de ambas estavam fora do padrão exigido.

Em seguida, a jovem foi a um estabelecimento fotográfico que fica em frente à sede da UAI e disse que, após tirar a foto, o atendente informou que teria que “cortar” partes do cabelo dela da imagem em um programa de edição fotográfica para que a foto fosse aceita para a confecção do documento de identidade.

Sara então relatou que disse para o profissional que já havia feito fotos 3×4 para documentos anteriormente e que o cabelo nunca tinha sido impedimento. Consta ainda na postagem em rede social, que a jovem voltou para casa sem as fotos e sem conseguir fazer os documento dela e da filha.

Ao chegar em Itaúna, Sara chamou a Polícia Militar (PM) e registrou boletim de ocorrência. No registro, ela comentou que o funcionário pediu para que fosse ao banheiro para diminuir o volume do cabelo e que passasse uma água no rosto.

O Governo do Estado, responsável pela administração das UAIs, também se pronunciou por meio de nota e informou que recebeu as solicitações de confecção de documento de identidade da denunciante, na última sexta-feira (20). Contudo, ambas fotografias estavam em desacordo com as recomendações da portaria, segundo a UAI. A unidade frisou que o cabelo ou o penteado não interferem na confecção do documento

Comentários

0 comentários