4 razões para incluir o abacate em sua dieta de reposição hormonal

4 razões para incluir o abacate em sua dieta de reposição hormonal

Durante a menopausa, tudo muda radicalmente: seu corpo, seus níveis hormonais e a sua sensação de bem-estar. Para contornar e absorver parte dessas mudanças, a sua alimentação também deve mudar e para isso é importante investir em uma dieta de reposição hormonal.

Esse tipo de dieta conta com alimentos que ajudam a amenizar os sintomas desse momento e também a contornar efeitos que podem ser prejudiciais para a saúde. Dentre os alimentos do cardápio, o abacate deve ser um deles. Quer saber o motivo? Então veja quatro razões para incluir a fruta em sua dieta.

O abacate tem propriedades que ajudam a hidratar a pele

O abacate é rico em gorduras consideradas benéficas para o organismo. Como resultado, o seu consumo feito da maneira correta ajuda na hidratação da pele e das mucosas em geral, que ficam mais secas na menopausa. A pele do rosto sofre menos com rugas e descamações, por exemplo, e mesmo o problema da secura vaginal é parcialmente contornado.

A fruta também possui uma grande quantidade de vitamina C, que estimula a produção de colágeno, o responsável por dar firmeza à pele. A vitamina E, por sua vez, age como antioxidante e evita o envelhecimento precoce e por isso deve fazer parte da sua dieta de reposição hormonal.

Favorece a saúde dos ossos quando incluso na dieta de reposição hormonal

Durante a menopausa, existe um risco aumentado de que ocorra a osteoporose. Isso se deve à perda de massa óssea que o corpo passa a experimentar devido à diminuição da quantidade de hormônios no organismo.

O abacate, por sua vez, conta com magnésio, um elemento importante para a saúde óssea. Ele ajuda e favorece a absorção de cálcio, o que aumenta a resistência óssea e, portanto, diminui o risco de osteoporose.

Tem ômega 3 que previne doenças cardiovasculares

A fruta também conta com um grande amigo do coração: o ômega 3. Os ácidos graxos desse tipo ajudam a desobstrução de artérias, diminuem a pressão arterial e, de maneira geral, evitam que problemas cardiovasculares aconteçam.

Na menopausa, esse tipo de proteção é ainda mais importante, pois o sistema cardiovascular fica mais vulnerável devido à baixa de estrogênio e progesterona.

De quebra, o ômega 3 também é benéfico para a saúde cerebral, melhorando e estimulando o funcionamento das atividades do sistema nervoso.

Diminui a ansiedade e os riscos de depressão

A serotonina é um neurotransmissor responsável pela sensação de bem-estar e felicidade em geral. Para ser formado, é necessário um aminoácido conhecido como triptofano, que não é produzido naturalmente pelo organismo.

O abacate, por sua vez, é um dos alimentos que contêm maior quantidade desse aminoácido, favorecendo a produção de serotonina no organismo. Isso ajuda a combater a ansiedade causada pelo período de baixa de hormônios, assim como diminui os riscos de depressão.

A fruta também precisa ser inclusa na dieta de reposição hormonal porque tem vitamina B3 e ácido fólico, que ajudam a regular as atividades hormonais no cérebro. Não menos importante, a maior sensação de bem-estar ajuda a evitar quadros de insônia e de falta de energia, muito comuns nessa fase.

O abacate precisa fazer parte da sua dieta de reposição hormonal porque contém uma série de nutrientes e propriedades que não apenas vão aliviar alguns sintomas da menopausa, mas também vão garantir mais qualidade de vida e proteção para a sua saúde nesse momento da vida.

O que você pensa sobre incluir a fruta em sua dieta? Tem alguma dúvida? Comente e participe.

Fonte :

Comentários

0 comentários