André do Rap debochou da Justiça, diz Fux ao votar contra soltura de chefe do PCC

André do Rap debochou da Justiça, diz Fux ao votar contra soltura de chefe do PCC

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Luiz Fux, votou para manter a decisão dele que suspendeu a liminar do ministro Marco Aurélio Mello que determinou a soltura do traficante André Oliveira Macedo, o André do Rap.

Durante a leitura de seu voto, Fux disse que André do Rap debochou da Justiça e que no passado tinha informado um endereço falso ao Poder Juduciário.

“Os estados gastam milhões para recapturar foragidos desta grandeza criminosa. A sua captura consumiu expressiva verba pública e aproveitou-se da decisão aqui questionada para fugir imediatamente e cometeu fraude processual ao indicar endereço falso, debochou da Justiça, debochou da Justiça”, disse Fux, primeiro a votar no caso.

“A decisão que ora submeto ecoa a jurisprudência dessa corte e volta-se precipuamente a fazer valer a colegialidade, afastando interpretações individuais dela frontalmente divergentes”, completou.

O ministro voltou a dizer que a soltura do chefe do PCC em São Paulo “compromete a ordem e a segurança públicas”, por se tratar de um criminoso “de comprovada altíssima periculosidade”.

O presidente do Supremo argumentou que, se a soltura for mantida, ela “tem o condão de violar gravemente a ordem pública, na medida em que o paciente é apontado líder de organização criminosa de tráfico transnacional de drogas”.

Comentários

0 comentários