Paciência tem limite: Como Luxa foi de blindado a pressionado no Palmeiras

Paciência tem limite: Como Luxa foi de blindado a pressionado no Palmeiras

Apesar de o Verdão ter apenas duas derrotas nos últimos 22 jogos, a paciência com o técnico Vanderlei Luxemburgo praticamente se esgotou na torcida alviverde, que dominou as redes sociais com a hashtag #ForaLuxemburgo nos últimos dias. Entre os motivos para a insatisfação, o principal deles é o desempenho abaixo do esperado dentro de campo.
Jogando mal, o Palmeiras sequer conseguiu derrotar, em casa, os ‘mistões’ de Flamengo, Goiás e Internacional. Atualmente, o time ocupa a sétima colocação no Campeonato Brasileiro, atrás de concorrentes com orçamentos significativamente inferiores, como Santos e Fluminense.

No entanto, apesar de a má fase já se esboçar há algum tempo, a gota d’água foi a derrota para o São Paulo. O Choque-Rei na nova arena alviverde tinha um retrospecto amplamente favorável aos donos da casa: oito vitórias, um empate, 24 gols marcados e apenas quatro sofridos. Contudo, no sábado, além de ter perdido para o rival, o Verdão não balançou as redes, demonstrando, mais uma vez, falta de capacidade ofensiva.
O Anúncio termina em 9s

O baque foi tão grande que a principal torcida organizada do clube, a Mancha Alvi Verde, resolveu se manifestar, pela primeira vez no ano pedindo a demissão de Luxa:

 

– PACIÊNCIA TEM LIMITE E A NOSSA CHEGOU AO FIM. Assim como foi feito com o Roger, Felipão e outros… Demos tempo ao tempo e futebol ao futebol. LUXA, obrigado pelo Paulistão e a história de um passado vitorioso. Já era! Não torcemos contra o Palmeiras para ter razão como alguns, mas amamos ao Palmeiras como poucos e nada e ninguém está acima da Sociedade Esportiva Palmeiras. Sem padrão de jogo, esquema tático e confiança. Substituições de volante para volante. Insistência em alguns jogadores sem capacidade. Perdeu o vestiário. FORA, LUXEMBURGO! – Pronunciamento oficial da torcida organizada ‘Mancha Alvi Verde’ no Instagram.

Fonte :
Verdão Web, Verdão Web

Comentários

0 comentários