Homem é preso suspeito de casar com criança de 11 anos; menina foi convencida a fugir de casa para viver com ele

Uma criança de 11 anos vítima de estupro foi resgatada ontem pela Polícia Civil do Amapá, em Vitória do Jari, a 165 quilômetros de Macapá. Ela estava casada com o próprio concunhado de 23 anos, que foi preso em flagrante. Segundo a investigação, o matrimônio era sem o consentimento da família dela.

“Ela é uma criança tanto na forma física quanto comportamental”, destacou o delegado Erivelton Clemente, que apura o caso.

A prisão aconteceu na casa do suspeito, na comunidade ribeirinha de Cajari. O lugar fica a quatro horas de Vitória do Jari, sendo que duas horas e meia são apenas por via fluvial. O caso chegou à Polícia Civil através do Conselho Tutelar, que relatou ter recebido a informação de que uma criança estaria casada com um adulto.

De acordo com a Polícia Civil, o suspeito frequentava a casa da família da vítima porque ambos são concunhados, já que a irmã dele é casada com o irmão da criança e morava junto com ela.

A vítima teria sido convencida a iniciar o relacionamento e há um mês fugiu de casa para viver com o suspeito, mas se arrependeu quando os pais foram visitá-la com a intenção de trazê-la de volta.

A Polícia Civil suspeita de que a garota era ameaçada a permanecer com o homem. Em depoimento, a criança confirmou que ambos mantiveram relações sexuais nesse período.

“Eles estavam vivendo como se fossem marido e mulher. Conversei com a vítima e ela nos relatou que durante a madrugada tiveram relações sexuais. Mandei ela para a perícia e constatou-se que houve o crime. Os pais dela já tinham ido várias vezes atrás da filha, mas ela relatava que tinha medo de retornar. No primeiro momento, ela fugiu porque quis, mas quando os pais foram lá, se sentiu amedrontada de voltar”, detalhou o delegado Clemente.

Em depoimento, o homem contou que convidou a menina para morarem juntos após se apaixonar por ela. A princípio, ele deverá ser indiciado por estupro de vulnerável. O delegado explicou que, mesmo se as relações sexuais fossem consentidas pela vítima e família dela, o suspeito seria enquadrado pelo mesmo crime.

“Ele disse que se apaixonou e que foi morar com ela. É uma mente doentia porque é uma pessoa de 23 anos com alguém de 11. Abaixo de 14 anos, a lei prevê que a vítima não tem capacidade para permitir a prática sexual, se tornando assim uma violência presumida de estupro de vulnerável”, esclareceu.

O suspeito está preso na Delegacia de Vitória do Jari e aguarda audiência de custódia para saber se será encaminhado à penitenciária ou responderá em liberdade.

Fonte :

Comentários

0 comentários