Pastor que matou homem e feriu mulher “por ser desprezado” é assassinado durante culto

Pastor que matou homem e feriu mulher “por ser desprezado” é assassinado durante culto

O pastor tinha um mandado de prisão em aberto por homicídio e tentativa de feminicídio.

Santos Marques, de 35 anos, foi assassinado na manhã deste domingo (5) enquanto ministrava um culto na QS 11 no Areal, bairro de Águas Claras. Segundo informações da Polícia Civil do Distritof Federal (PCDF) uma fiel que participava do culto também foi ferida pelo disparo.

Segundo testemunhas, o pastor estava ajoelhado de costas no altar, quando um homem entrou no templo e disparou diversos tiros contra a vítima. O crime ocorreu por volta das 9h30, durante a escola bíblica dominical – culto tradicional que ocorre em todas as igrejas evangélicas na manhã de domingo.

A fiel que participava do culto também foi atingida no pé direito de raspão. A Polícia Civil foi acionada e realizou a perícia no local. A fiel recebeu memorando de encaminhamento ao Instituto de Medicina Legal.

Mandado em aberto
O pastor tinha um mandado de prisão em aberto por homicídio e tentativa de feminicídio.

O crime do qual Francisco é acusado ocorreu em 2016. De acordo com a sentença proferida pela juíza da 1ª Vara Criminal da Comarca de Parnaíba Maria Ivani de Vasconcelos, o pastor, em 3 de abril daquele ano, por volta das 20h30, atirou e matou Lucas da Silva Gomes.

Uma mulher identificada como Jeane Silva Marques também ficou ferida à época. Ela precisou passar por diversas cirurgias que acabaram causando incapacidade para as ocupações habituais por mais de 30 dias, além de deformidade permanente.

De acordo com a magistrada, o acusado agiu por motivo fútil, uma vez que matou Lucas Gomes “pelo simples prazer de vê-lo morrer.” Além de tentar matar a mulher, por vingança ao ser desprezado por ela.

Ainda de acordo com o processo, o pastor agiu “mediante recurso que dificultou ou impossibilitou a defesa do ofendido, haja vista após saber onde as vítimas se encontravam, os aguardou, em emboscada e, de arma em punho, deferiu-lhes vários tiros”.

Jeane Silva Marques era casada com Francisco, mas no tempo dos fatos já estava separada havia mais de dois anos e não mantinha contato com o pastor. Não aceitando a separação, o homem começou a ameaçar a ex. Dizia que não aceitava vê-la com outra pessoa.

Comentários

0 comentários