Menino de 3 anos é morto pela mãe e colocado em um saco plástico e com urso de pelúcia

O pequeno Isaac Carrilho Barbosa, de 3 anos, que foi morto pela própria mãe, foi encontrado dentro de um saco plástico preto e com um urso de pelúcia em um riacho Às margens da BR-277, no km 102, na divisa entre Curitiba e Campo Largo, na Região Metropolitana do Paraná. Segundo o delegado Nasser Salmen, que investiga o caso, a suspeita Caroline Carrilho Correia, de 29 anos, confessou que matou que matou o menino na tarde de terça-feira, dia 29. A criança estava bem vestida e parecia estar dormindo. A principal causa é por asfixia, já que a suspeita informou que usou as mãos para tampar o nariz e a boca da criança. A mulher ainda tentou tirar a própria vida, ao cortar os pulsos.

Até o momento, a mãe não explicou o motivo que a levou a matar Isaac e nem se o crime foi cometido no local ou no bairro Portão, onde ela residia com a criança e o marido, Dener Barbosa, com quem tem um relacionamento há seis anos. Só o laudo que sera feito pelo Instituo Médico Legal irá confirmar a causa, hora e onde tudo aconteceu.

— Presume-se que o crime aconteceu ali, porque ali foi encontrado o corpo da criança. O menino estava dentro de um saco plástico, bem ventido e com urso de pelúcia ao lado. Tudo leva a crer que tenha sido por asfixia mecânica, porque a mãe disse que usou as duas mãos em compressão contra o nariz e a boca da criança. A criança pode ter sido morta no bairro Portão, porque ela mora lá. Ela pegou um táxi para ir até o local. Então, ela pode ter pegado a criança para ocultar o corpo ali. Mas só um lado nos dará essa precisão.

Conforme Salmen, a linha de investigação ainda não esta definida, mas três hipóteses já são levantadas pela polícia: crime passional, mental ou vingança. O marido da suspeita afirmou que ela sempre foi uma boa mãe para criança.

— Não sabemos ainda as causas que a fizeram cometer um homicídio tão brutal. Nas redes sociais, ela demonstrava todo amor, carinho e atenção à criança. O próprio marido disse que ela era uma mãe muito dedicada. Os fatores que podem levar a isso são os passionais, mentais e vingança, tudo isso serão investigados — afirma o delegado.

Fonte :

Comentários

0 comentários