Braz vence disputa interna no Flamengo, evita W.O e brinca após irritação do Palmeiras: Pai tava ON. Eles piram

Jogo mais polêmico da rodada 12 do Campeonato Brasileiro, Palmeiras 1 x 1 Flamengo só teve autorização para acontecer minutos antes das 16h, horário inicialmente marcado o mesmo.

 

Internamente, o clube carioca contava com o respaldo jurídico para não entrar em campo, já que o Tribunal Regional do Trabalho (TRT) acatou um pedido do Sindiclubes adiando a partida. Só que minutos antes das 16h, o Tribunal Superior do Trabalho (TST) deferiu o pedido da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e derrubou a liminar, autorizando o confronto. No momento em que isso aconteceu, o Flamengo já estava no Allianz Parque aquecendo, tudo por conta de uma disputa interna vencida pelo vice-presidente de futebol, Marcos Braz, apurou o ESPN.com.br.

Enquanto a cúpula rubro-negra seguia confiante e dizia ter respaldo jurídico para não entrar em campo, Braz foi figura contrária desde o início por conta dos prejuízos esportivos que um W.O. poderia trazer ao clube. Segundo o responsável pelo futebol do Flamengo, o time deveria sim ir a campo. Em um primeiro momento, ainda com a liminar de adiamento da partida valendo, os jogadores cumpriam a ordem da direção de confiar na decisão jurídica e continuavam no hotel em São Paulo.

Nos bastidores, Marcos Braz martelava na tecla de que o Flamengo não poderia seguir confiando cegamente em liminares. O vice de futebol era quem mais lutava entre os cartolas para que o clube, independentemente da resposta da Justiça, estivesse no Allianz Parque no horário. A decisão não agradou alguns membros da direção, mas o presidente Rodolfo Landim, quem dá a última palavra dentro do clube, seguiu o que Braz dizia. Poucos minutos antes das 15h, Braz ganhou a queda de braço interna, e a delegação entrou no ônibus rumo ao local da partida.

Por lá, os jogadores receberam a notícia às 15h50 de que a bola rolaria. Eles fizeram um aquecimento improvisado no vestiário do Palmeiras e subiram ao gramado por volta das 16h17 (o permitido era até 16h30).

Desde o início, Braz alertou para que o time usasse o regulamento e assim tivesse mais tempo para aquecer, o que irritou Felipe Melo e demais palmeirenses. Com amigos, o vice de futebol vibrou pela estratégia adotada nos bastidores: “Pai tava on. Eles piram”, disse, dando risada, segundo apurou a reportagem.

“A gente sabe da dificuldade do jogo, fizeram toda uma sacanagem antes do jogo, fizeram a gente ficar esperando aqui, uma falta de respeito sem tamanho conosco do Palmeiras. Que segue 100% o protocolo. Mexe com a nossa cabeça, não é um jogo normal, a gente não entrou para jogar um jogo normal. Tem que rever conceitos no Brasil, infelizmente”, disparou Felipe Melo à TV Globo, no intervalo do confronto.

Durante a partida, o que se viu foi um Flamengo, mesmo com diversos garotos e apenas quatro ‘veteranos’ (Gerson, Thiago Maia, Arrascaeta e Pedro), sem sentir a falta do aquecimento normal, deixar de lado toda a loucura que antecedeu a partida econseguir um ponto importante no Allianz Parque para a sequência no Brasileirão.

Na próxima quarta-feira (30), o desafio do time carioca será na Conmebol Libertadores. A equipe tem apenas 16 jogadores inscritos sem COVID-19, sendo quatro goleiros e dois lesionados (Gabriel, o ‘Gabigol’, e Pedro Rocha). No entanto, o camisa 9 é esperado para voltar diante dos equatorianos.

A comissão técnica trabalha também com o retorno dos sete jogadores infectados inicialmente pelo novo coronavírus (Isla, Matheuzinho, Filipe Luís, Diego, Bruno Henrique, Michael e Vitinho).

O provável Flamengo até aqui para encarar o Independiente Del Valle, do qual tomou de 5 a 0 no Equador, é: Diego Alves; João Lucas, Natan e Ramon; Thiago Maia, Gerson, Arrascaeta e Guilherme Bala; Gabigol, Pedro e Lincoln.

Fonte :
Verdão Web, Verdão Web

Comentários

0 comentários