É necessário desmatar as florestas brasileiras nesse momento para aumentar a produção?

A cada novo dia há uma nova notícia sobre o desmatamento no Brasil, conflito entre produtores rurais e indígenas, queimadas e outros problemas relacionados a natureza e ao agronegócio, mas será que é necessário explorar tantas áreas novas? Se for analisado os dados históricos das produções agropecuárias do país, irá notar um grande avanço de produtividade em todo o setor agropecuário, elevação pelo avanço das pesquisas

Com as pesquisas possível criar plantas transgênicas resistentes a doenças e pragas, já existem estudos muito promissores para plantas com maior tolerância a período de estiagem. São esses trabalhos que desenvolveram milhos híbridos de altas produtividades. As plantas e animais hoje elementares muito mais que 50 anos atrás, alguns desses chegam a produzir até o dobro na mesma área ou uma produção equiparada em um tempo bem mais reduzido.

O cuidado com o solo também evoluiu muito, na atualidade tem-se o conhecimento das melhores técnicas para se fazer adubação e conservação do solo, manejos esses que ajudam a aumentar a produção e o tempo de fertilidade de uma propriedade. Com o surgimento de tecnologias e o maior estudo da agricultura de precisão torna-se mais precisas como inicia de decisões, gerando menos danos para o meio ambiente e maior economia no bolso do produtor. Essa mesma precisão já está sendo incorporada na aplicação de defensivos agrícolas, produto que desde suas primeiras utilizações, não final da segunda grande guerra, vem passando por processo de melhorias para tornar-se mais eficiente e menos prejudicial aos procedimentos.

Por que desmatar se o país pode investir nas áreas que já estão abertas, existe milhões de hectares de pastos degradados, média de produção de leite baixa, muitos produtores ainda sem assistência de qualidade, sem estradas para fazer a sua logística para compra de insumo e distribuição das suas safras.

Se o Brasil conseguisse aumentar a sua média de produtividade de soja dos atuais 3273 kg / ha para 4200 kg / ha, o que seria 70 sacas / ha, algo que não é impossível sendo que o recorde de produtividade é 213 sacas / ha, não é difícil de encontrar propriedades com colheitas acima de 100 sacas / ha, teve estado com média acima de 60 sacas / ha na safra 2019. É sabido que muito das altas produtividades são em áreas pequenas, mas não minimiza o fato que é possível aumentar produção. Com a área que já temos de 36,9 milhões de ha, isso é, sem considerar o fato do potencial que existe em terreno de pastagem degradadas e integração com pecuária e floresta.

Pensando da mesma forma para os bovinos se no lugar de ter 1 UA / ha que são os valores encontrados em algumas literaturas atuais, fosse feito o manejo da pastagem e usada técnicas simples como adubação, controle de entrada e saída, mais piquetes, pontos importantes para a pecuária que ainda não tem um amplo uso, poderia gerar um aumento da capacidade de suporte das pastagens, elevando, por exemplo, para 2 UA / ha, não tão complicado já que várias propriedades já tem essa média, faria com que a produção dobrasse a sua quantidade mesma na área existente.

Outro produto que teria um impacto muito grande seria a produção de leite, aumento dos atuais 1,9 kg / lactação, média brasileira para 3 kg / lactação que é média da Argentina. Não é coisa de outro mundo, visto que tem países com 5 a 7 kg / lactação. Por que esses países podem e o Brasil não !?

O que é preciso ter em mente que o processo é trabalho e precisa da ajuda do governo para fomentar como pesquisas e investimento, porém não são coisas impossíveis, quando se olha dados históricos é possível observar a evolução que a produção da nação, todas as culturas como evoluir para produzir mais na mesma área, entretanto a gestão rural é um fator essencial para não ter prejuízo.

Nesse texto foi citado apenas alguns exemplos do potencial que o país tem para aumentar a produção, muitos outros produtos podem ter esse aumento em sua produção na mesma área, basta o governo e os produtores trabalharem para isso. Nada do que está escrito nesse texto é algo que já não está declarando em propriedades pelo País.

Fonte :

Comentários

0 comentários