Reviravolta no caso Danilo: polícia afirma que não foi padrasto quem matou menino

Danilo de Sousa Silva, de apenas 7 anos, acabou morrendo afogado em uma lamaçal que ficava a certa de cem metros de sua residência, em Goiânia.

Inicialmente, acredita-se que o seu padrasto tivesse envolvimento em sua morte. Porém, após um inquérito ser instaurado e as autoridades fazerem investigações para descobrir o real assassino, ficou descartado que seu padrasto tivesse alguma participação no caso.

Após essa reviravolta apenas Hian Alves de Oliveira, que tem 18 anos foi indiciado por homicídio duplamente qualificado e ocultação de cadáver.

Hian é vizinho da família e trabalha como ajudante de pedreiro.

Prisão do padrasto

No dia 31 de julho, Reginaldo Lima Santos, de 33 anos foi preso, pois era considerado o principal suspeito de ter assassinado Danilo de Sousa Silva. Até então acreditava-se que Reginaldo teria cometido o assassinato com a ajuda de Hian.

Desde o início o padrasto afirmou que tudo era uma grande farsa para incriminá-lo e que de fato ele era inocente.

De acordo com Ernane Cázer, que é o delegado que está a frente de toda essa investigação, Hian apresentou uma nova versão e afirmou que agiu sozinho e é o autor de tal crime.

Dessa forma, Hian livrou Reginaldo de qualquer tipo de acusação que pudesse incriminá-lo.

Comentários

0 comentários