Homem cria prótese para a própria perna com canos de bicicleta

Depois de acidente com moto, ele decidiu fazer a própria prótese.

O alto custo de uma prótese de perna e a grande burocracia fizeram com que o mecânico José Márcio Stefano, de 42 anos, decidisse fazer sua própria versão do membro artificial. Morador de Mongaguá, no litoral de São Paulo, ele improvisou com canos de bicicleta e resina de prancha e adaptou a situação para fazer uma prótese ‘caseira’, que é sua companheira há 20 anos.

O mecânico conta que sofreu um acidente de moto em 1996, enquanto passava por uma rotatória, e quase perdeu a perna inteira. Ele explica que, na época, seu pai era vivo e deu todo o apoio para ele reimplantar o que havia perdido do membro.

Apesar da possibilidade do reimplante, o órgão rejeitava, e ele teve problemas durante a recuperação.

Alguns anos depois do acidente, e depois da morte de seu pai, Márcio decidiu amputar a perna. “Eu passava por muitos problemas na época, então achei que seria melhor”, explica. Ele conta que assim que amputou, procurou uma prótese, já que na época conseguiria bancar os custos da manutenção. Mas a burocracia para conseguir a perna, as muitas consultas, exames e entrevistas atrapalhavam o processo e Márcio decidiu buscar outros meios.

“Eu vi as pernas, com cano, molas, mas tudo bem evoluído. Olhei bem, vim para minha oficina e fiz a minha versão, com cano de bicicleta e resina de prancha”, declara. Ele conta que, desde 2000, usou três versões da perna ao longo dos anos, sempre modificando algo. “Ela não foi sempre bonita assim. O pezinho eu ganhei depois de muitos anos usando sem, de um amigo que também tem a prótese”, relata.

Apesar de se adaptar, ele conta que sentiu muitas dores para andar no começo. “Eu fiz a perna diretamente na perna, no meu coto, e foi difícil no começo. Sofri muito”, declara Márcio. Ele ainda afirma que precisa colocar meias e faixas para a perna ficar fixa e para a prótese improvisada não machucar. Apesar do desafio do início, hoje Márcio comenta que até nada com a ‘perna’ mecânica.

Ele relata que tem vontade de usar uma prótese, mas por conta do valor não consegue. Márcio, que passou por problemas com bebidas há alguns anos, disse que os custos vão além do que ele pode bancar no momento. “Eu queria uma prótese, muito, mas não tenho condições, só por isso não busco”, esclarece.

Márcio leva a situação com leveza e até ajuda amigos que também usam a prótese. “Fiz uma perna para um colega usar,e ele ficou de pegar aqui. O que eu posso ajudar, eu faço”, brinca. Ele conta também que já ganhou uma prótese de um amigo que recebeu como doação, mas que não consegue usá-la por machucar e não ser adaptada a ele. Por conta disso, ele utiliza partes da prótese que ganhou, como o pé. “Eu aproveito o que ganho, mas o sonho é uma feita para mim”, finaliza.

Fonte: G1

Comentários

0 comentários